Tradutor

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Naturistas ganham mais praias de liberdade

JN - Rogério Matos


Para quem pratica o naturismo nas praias portuguesas, a sensação total de liberdade face à opressão dos calções de banho e biquínis é o que separa um bom dia de praia de um repleto de restrições de movimentos.

Os que escolhem desnudar-se por completo têm um total de oito extensões de areal onde a prática do naturismo é completamente legal e podem assim fazê-lo sem temer qualquer represália ou queixas por parte de outros, ainda que estejam todas situadas a sul do Tejo, o que pode mudar em breve. A praia do Salgado, em Leiria, pode ser a próxima da lista oficial.
Rui Elvas, presidente da Federação Portuguesa de Naturismo, salienta que para o futuro existem novos projetos de reconhecimento oficial de praias, principalmente nas regiões Centro e Norte do país, onde não há qualquer praia oficial para a prática de naturismo - só a da Estela, considerada "de uso e costume". "Ainda existe uma grande conotação negativa associada ao nudismo e isso tem de mudar, já que adjetivos como perversidade ou exibicionismo em nada se aplicam a esta prática".

Adiça, em Almada, é a mais recente

A Adiça, perto da praia da Fonte da Telha, em Almada, desde há muitos anos considerada praia de uso e costume naturista, entrou há cerca de um mês na lista de praias oficiais em Portugal pela Federação Portuguesa de Naturismo. A distinção vem dar às praias de uso e costume naturista a possibilidade de poder praticar a nudez social em local próprio e de acordo com a lei. A decisão, sobre o processo, iniciado em setembro de 2014, foi tomada na Assembleia Municipal de Almada de 26 de junho e solicitada pela Federação Portuguesa de Naturismo com o aval do turismo regional. A principal diferença entre "praias de uso e costume" e as "praias oficiais" recai sobre o reconhecimento por entidades públicas com jurisdição sobre o território. "Ao passo que as praias oficiais têm esse reconhecimento público, as praias de uso e costume são assim consideradas pela prática do nudismo existente e conhecida pela população local", explica Rui Elvas.
Além da Federação Portuguesa de Naturismo existem outras associações pelo país que defendem esta prática, como o Clube Naturista do Centro, o Clube Naturista do Algarve, os Jovens Pelo Naturismo e a Sociedade Portuguesa de Naturalogia.
Na praia da Adiça, ao contrário de outras praias naturistas cujo acesso é dificultado, veem-se desde famílias a aproveitar o sol sem deixar quaisquer marcas de fato de banho, a casais que experimentam esta prática pela primeira vez ou outros veteranos.

"É a verdadeira liberdade"

Em pleno areal, José e Anca espelham o verdadeiro sentimento de praticar naturismo já que ele, frequentador desta praia há muito tempo, convenceu a sua companheira a acompanhá-lo na experiência. Ele pratica naturismo desde criança com os pais e quando conheceu Anca conseguiu convencê-la a retirar a roupa e experimentar "a sensação verdadeira de liberdade". Anca, por seu lado, admite algum nervosismo na primeira vez que se libertou da roupa em público - mas em nenhum momento se arrependeu. "Só quem pratica naturismo sabe a verdadeira diferença entre usar biquíni e usar nada. Muitos confundem naturismo com exibicionismo mas essa ideia é completamente errada".
Da larga experiência na prática de naturismo, o casal já assistiu a situações menos dignas que os prejudicaram enquanto estavam na extensão de areal. Desde "mirones" com câmaras de vídeo a filmar as mulheres desnudadas ou queixas que motivaram a presença da polícia, que "convidaram" a vestir roupas, José e Anca desejam que haja respeito em relação a esta prática.
Um jovem casal proveniente de Viseu escolheu a praia da Adiça para experimentar pela primeira libertar-se do fato de banho. "É uma experiência muito boa, a repetir com certeza". Desde que estejam criadas as condições ideais para a prática do naturismo, o turismo deste setor vai crescer certamente, condições essas que passam simplesmente por aceitar este estilo de vida sem a perversidade associada a quem o pratica. Esta distinção oficial à praia da Adiça vem, por um lado, dar o tal "descanso para os naturistas" e por outro, aumentar o turismo internacional. "Os turistas que praticam naturismo não frequentam praias que não sejam oficiais", admite Rui Elvas. "Não queremos monopolizar a prática de naturismo a partir de um aumento exponencial de praias oficiais, já que são públicas e acessíveis a todos, mas apenas afastar situações constrangedoras".
 

sábado, 18 de julho de 2015

Praia da Adiça legalizada

Reportagem simples, sem preconceitos.



Há mais uma praia para naturistas em Portugal


Há mais uma praia para naturistas em Portugal

Praia da Adiça junta-se à lista de praias onde é permitido dispensar a roupa na região de Lisboa

Por:  Andreia Miranda /TVI24 
A praia da Adiça, na Fonte da Telha, é oficialmente uma praia naturista. Conhecida há mais de 30 anos como uma das praias em que se dispensa a roupa, só agora é que foi reconhecida oficialmente.
"A prática de naturismo na Praia da Adiça já era tolerada há cerca de trinta anos, pelo que foi entendido proceder à sua legalização", afirma o Turismo de Lisboa em comunicado.

A decisão foi aprovada pela Assembleia Municipal de Almada nos finais de junho e a praia da Adiça torna-se na oitava praia naturista em todo o país e a terceira na região de Lisboa. Assim sendo, a Caparica passa a ter duas praias naturistas - a Bela Vista e a Adiça - a que se junta a praia do Meco, em Sesimbra.

O naturismo em Portugal pode ser praticado ainda nas praias de Adegas (Odeceixe), Alteirinhos (Zambujeira do Mar), Salto (Porto Covo), Barril (Tavira), Deserta (Barreta, Faro).  [ver mapa abaixo]

No entanto, segundo afirmou o presidente da Federação Portuguesa do Naturismo ( FNP), Rui Elvas,  o preconceito contra o naturismo em Portugal precisa de ser quebrado, principalmente no Norte.
"O grande problema tem a ver com o norte (do país). São pessoas que têm uma ideia mais retrógrada em relação ao naturismo", afirmou Rui Relvas em entrevista à TVI no Dia Mundial do Naturismo.

Ainda este ano foi inaugurado, a 10 de junho, o primeiro parque naturista em território português, em Marvão, no Alentejo.

A primeira prática de nudismo conhecida em Portugal remete para os anos 20 do século passado. No entanto, antes do 25 de Abril era considerado atentado ao pudor. A lei, que protege a prática, foi aprovada em 1988 pela Assembleia da República.
 

Veja o mapa das oito praias naturistas em Portugal:

 




 

sexta-feira, 17 de julho de 2015

Discussão entre vestidos e despidos leva a intervenção policial




por DN


Um casal de pessoas vestidas e um grupo de naturistas começaram a discutir e a polícia acabou mesmo por ser chamada.
Uma discussão acesa entre um casal vestido e um grupo de naturistas obrigou à intervenção da polícia francesa, na segunda-feira.
O incidente ocorreu na praia de Matteille, em Aude, no sul de França, num local onde é aceitável a prática de naturismo. No entanto, houve um casal que pediu a um grupo de naturistas que se afastasse um pouco. Inicialmente, o grupo aceitou o pedido, mas minutos mais tarde voltou.
A situação, que inicialmente tinha tudo para ser cómica, complicou-se quando uma das pessoas vestidas apontou uma pistola (que viria a revelar-se ser um modelo de alarme) a um dos naturistas.
Foi nesta altura que a polícia se viu forçada a intervir. Os agentes de autoridade resolveram a situação dividindo a praia por cada um dos grupos em confronto, noticiou o canal de televisão BFMtv.

sábado, 4 de julho de 2015

Dicas para tratar um escaldão


Apesar de não ser possível ‘desfazer’ ou fazer desaparecer um escaldão solar há algumas coisas que pode começar já a fazer para tratar esse escaldão o mais depressa possível.
 A publicação Health falou com um especialista em dermatologia, Dr. Joshua Zeichner, para perceber o que é que se pode fazer para acelerar o processo de cura de um escaldão.

Trabalhe de dentro para fora: Mal perceba que a sua pele está vermelha e que muito provavelmente estará com um escaldão, tome um medicamento anti-inflamatório, como uma aspirina ou um ibuprofeno, recomenda o Dr. Joshua Zeichner. Isto pode ajudar a evitar que a inflamação e a vermelhidão da pele piorem e ainda alivia a dor.

Acalme a pele: Passe o corpo por água doce ou tome um banho de água quase fria para acalmar a pele e remover qualquer vestígio de cloro, sal ou areia, que podem causar irritação na pele. Se vai tomar banho na banheira, adicione um copo de aveia à água para potenciar o efeito calmante.

Hidrate a pele: O sol destrói o óleo da pele por isso, depois de apanhar sol e, especialmente, se apanhou ficou com um escaldão certifique-se que hidrata bem a pele com um creme gordo. O Dr. Joshua Zeichner recomenda os cremes que contêm aloé vera, glicerina ou ácido hialurónico. Para um efeito mais calmante e refrescante, conserve o seu creme no frigorífico antes de aplicar.

Hidrate-se: Além de deixar a pele desidratada, o sol também desidrata o resto do seu corpo. Beba muita água e coma muita fruta rica em água como melancia, melão ou uvas para contra-atacar os efeitos do sol.

 

terça-feira, 30 de junho de 2015

Aniversário da Praia do Meco


Realizou-se neste domingo o dia mundial do Naturismo e o aniversário da Praia do Meco.
Nós, como habituais frequentadores desta praia, marcámos presença, num dia em que a praia estava repleta de corpos nus, alguns com mistura de têxteis, algo aliás repetitivo no mundo Nudonaturista.
No entanto foi agradável ver que muitos Nudistas/Naturistas aproveitaram o sol para estarem presentes nesta praia que fazia 20 anos de legalidade nudista.
Só foi pena que o mar estivesse muito forte, aliás como é muito usual nesta praia, não permitindo o seu usufruto total num dia de muito calor, tendo as pessoas optado por se refrescarem à beira mar.
Mas não deixou de ser um dia bem passado.

segunda-feira, 22 de junho de 2015